maio 4, 2017

NINGUÉM É 100%. ACEITE QUE VOCÊ NÃO É O MÁXIMO E VIVA MELHOR!

Ninguém é perfeito, todos temos defeitos. E ao reconhecer que temos limitações e nos perdoamos, conseguimos fazer o mesmo com o outro. É incrível a nossa tendência de idealizar todas as relações que construímos. Sonhamos com um mundo perfeito, um país com tudo em ordem, um estado onde nada fica fora do lugar, uma cidade onde cada um cumpre o seu papel. Pensamos que o trabalho poderia ser menos chato. Que o chefe, mais tolerante e as tarefas menos árduas. Que os amigos sejam mais compreensivos. Esperamos famílias mais acolhedoras, que não coloque tantas “faturas” nas nossas mãos. E o ideal dos ideais: um amor absolutamente perfeito, como no cinema ou nas telenovelas. Certa vez, na terapia, comentava sobre o final da novela Alma Gêmea, da Rede Globo, lamentando estar solteiro naquele momento. A psicóloga puxou as minhas orelhas e, aproveitando o gancho da dramaturgia, perguntou: “você viu quantas vidas […]
setembro 27, 2016

 Justiça: você gostou do final?

A minissérie Justiça terminou com excelentes números de audiência e críticas muito positivas. De fato, Justiça foi o entretenimento de melhor qualidade exibido na Globo, ou na televisão aberta deste ano. Justiça poderia muito bem ganhar uma nova temporada. De acordo com a autora Manuela Dias, que virou a mais nova queridinha da Globo, pelo trabalho feito em Justiça, o entrelaçamento das histórias ocorreu porque a vida da gente é assim. Enquanto escrevo este texto, quanta coisa está acontecendo bem ao meu redor e eu não sei? O final de cada episódio de Justiça deixou possibilidades, não só de continuação, mas também questionamentos que farão o público refletir.   SEGUNDA TEMPORADA   Enquanto a personagem de Débora Bloch decidiu não matar o assassino da filha, a esposa do assassino termina o episódio fazendo aulas de tiro. Será que ela vai matar Elisa (Débora) por ter transado com o marido dela? […]
setembro 15, 2016

Quando é possível perdoar

Ubuntu   Perdoar é uma dádiva. Perdoar é algo para pessoas de espírito elevado. Um dos temas propostos pela minissérie Justiça é o perdão.  As personagens de Débora Bloch e Adriana Esteves enfrentam de forma diferente os crimes em que se viram envolvidas. Enquanto a professora Elisa se preparou durante sete anos para matar o assassino da filha, a doméstica Fátima deixou a prisão disposta a começar uma nova vida. Como tudo na vida é impermanente, como as pessoas são diferentes, deveria ser natural respeitar essa diversidade na forma como cada um lida com o ato de perdoar. Conceder o indulto a quem nos feriu de maneira absolutamente profunda revela auto- conhecimento, um desejo de evoluir espiritualmente, para além das dores provocadas. Até porque, insistir na mágoa, só fará com que a gente fique no mesmo lugar. AUTO-INDULGÊNCIA O auto perdoar-se também é um grande desafio. Muitas pessoas carregam pela […]